Buscar
  • José Amorim de Oliveira Júnior

É bom ou ruim ter expectativas?⁣

Segundo Albert Ellis, psicólogo norte-americano, a base da nossa inteligência emocional está nas nossas expectativas: temos emoções positivas ou negativas em função das expectativas que temos. As EXPECTATIVAS, em si, não são problemas. É bom ter expectativas.

Nessa semana atendi uma cliente que me falava que ela havia descoberto a fórmula da felicidade que, para ela, é não ter expectativas, não esperar nada!

Achei interessante e me senti instigado a escrever esse post sobre EXPECTATIVA, pois a base das nossas EMOÇÕES POSITIVAS ou NEGATIVAS está nas nossas EXPECTATIVAS e, para tanto, é importante entendermos a diferença entre EXPECTATIVA, DESEJO e EXIGÊNCIA.

1) EXPECTATIVA: é o que se ESPERA que aconteça. Se uma Expectativa não acontece da forma que eu espero, posso ficar frustrado ou posso encarar com naturalidade. Aliás, ter expectativas, esperar que coisas boas aconteçam pode ser um fator que nos motiva a agir para que elas se concretizem.


Segundo Albert Ellis, psicólogo norte-americano, a base da nossa inteligência emocional está nas nossas expectativas: temos emoções positivas ou negativas em função das expectativas que temos. As EXPECTATIVAS, em si, não são problemas. É bom ter expectativas.


Se ter expectativas é bom, então, como fazer para NÃO SOFRER, quando alguma expectativa não der certo?


Enquanto o budismo tenta evitar o sofrimento não tendo desejo ou expectativa, Albert Ellis diz que evitar expectativa não é algo possível: querer não ter expectativas já é uma expectativa. Como não posso ELIMINAR as minhas expectativas a solução é saber como LIDAR com as emoções quando uma expectativa nossa não acontecer, pois é comum que algumas expectativas que temos aconteçam, enquanto outras, não acontecem.


Ter expectativa é algo bom! Graças às nossas expectativas é que avançamos, nos desenvolvemos. Temos expectativas de ter uma vida melhor, mais feliz, aumentar nossa renda, nos divertirmos mais, termos mais amor. As expectativas nos motivam a fazer a realizar, TER EXPECTATIVAS é algo bom, positivo.


O problema é quando temos EXPECTATIVAS IRREAIS, é isso que gera sofrimento. EXPECTATIVAS IRREAIS são coisas que EU quero que aconteça, mas que estão fora do meu CONTROLE, não dependem de mim. Expectativas IRREAIS são viagens mentais, fantasias, algo que NÃO dependem da gente.


Até mesmo uma EXPECTATIVA IRREAL em si, não é o problema, se estivermos conscientes de que é IRREAL e, caso não dê certo, seguirmos em frente, sem nos abalarmos. É o caso, por exemplo, de quando jogamos na Mega Sena: jogamos e ficamos na expectativa de ganhar, mas sabemos que é uma expectativa praticamente irreal, porque não depende de nós e, estatisticamente, as chances são mínimas. Fazemos planos do que fazer, caso ganhemos (afinal, ninguém é de ferro, se jogamos, é normal ter esperança de ganhar e fazer planos!). Daí, conferimos os números sorteados e vemos que não ganhamos, mas, tá tudo bem, não ficamos frustrados se não ganharmos, aliás, já sabíamos que a chance maior era mesmo de NÃO ganhar mesmo, mas isso não nos impedia de ter expectativa de ganhar!


O Problema é que algumas pessoas tem expectativas irreais, em relação a coisas que não dependem delas e que elas querem tanto que aconteçam e que, quando não acontecem, se sentem feridos ou chateados, frustradas.


Também não adianta entrar na onda de que “querer é poder” e se “quisermos muito” algo, ele se tornará realidade! Não adianta QUERER, apenas, para garantir que aconteça. Quando se trata de coisas que estão fora do nosso CONTROLE, temos de AGIR e, ainda assim, saber que não temos o controle total. Mas só QUERER, sem agir, não significa nada, não garante nada.


A grande questão é sabermos diferenciar “expectativas” de “expectativas irreais” e nos prepararmos para lidar com elas, quando elas não acontecerem, sem que soframos por causa disso.


Um dos principais motivos do sofrimento humano é que ele quer tanto algumas coisas que se esquece que é uma fantasia, uma EXPECTATIVA IRREAL, pois não depende dele, ou não depende SÓ dele. Por exemplo: o filho que quer que o pai ou a mãe o ame do JEITO que ele espera; o pai ou a mãe que quer que o filho ou a filha o ame do JEITO que ele espera; o marido ou a esposa que quer que seu cônjugue o ame como ela deseja; o empresário que quer que suas vendas atinja uma posição x, e por aí vai. Nada disso depende só da pessoa.

2) DESEJO: o desejo é uma EXPECTATIVA AMPLIADA. Quando a EXPECTATIVA aumenta muito de intensidade, ela vira um DESEJO. A intensidade da nossa REAÇÃO é proporcional à intensidade do nosso DESEJO. Quando acontece algo que desejamos muito, nossa reação é de felicidade. Quando não acontece algo que desejamos muito, nossa reação pode ser de frustração, mas pode ser, também, de serenidade, se praticarmos a mudança de pensamento e não cairmos em exigências.


3) EXIGÊNCIA: quando o DESEJO vai ao EXTREMO, entramos em um estado de EXIGÊNCIA: “algo TEM QUE acontecer” ou “algo NÃO TEM QUE acontecer”; “fulano TEM QUE agir de um jeito” ou “fulano NÃO TEM QUE agir de um determinado jeito...”. Quando estamos no modo de EXIGÊNCIA, queremos que as pessoas FAÇAM e AJAM de acordo com as nossas exigências, que as coisas ACONTEÇAM de acordo com nossas exigências. Quando uma pessoa tem uma exigência e ela não é atendida ela entra em um estado de emoções intensas, ou contra ela mesma, caso a exigência seja interna, como, por exemplo, NÃO POSSO ERRAR (depressão, tristeza) ou contra outras pessoas (raiva, irritação), quando ela exige algo da outra pessoa, como “fulano não pode errar”, “fulano tem que me tratar com respeito”.


As EXIGÊNCIAS são rígidas, extremistas, dogmáticas, absolutistas e impede a realização de objetivos e limita a vida da pessoa, que também vai internalizando essas características e vai se tornando uma pessoa rígida, extremista, irracional, dogmática, limitada, não são capazes de se adaptar a regras, a complexidade do ambiente, exigem que a vida seja do jeito que ele quer, e não aceita a vida como ela é. É ILÓGICA, IRREAL e IMPRODUTIVA. Quanto mais exigências irracionais uma pessoa tem, mais difícil é sua vida. Pessoas MAL SUCEDIDAS, que não conseguiram se realizar profissionalmente, que não possuem relacionamentos positivos na vida são pessoas que possuem muitas exigências IRRACIONAIS.

Pessoas que vivem em estado de EXIGÊNCIA se tornam rígidas, dogmáticas, irracionais, tem dificuldade de se adaptar a regras, exigem que as coisas aconteçam como elas querem, não aceitam a vida como ela é, se tornam irracionais e improdutivas.⁣

Já pessoas bem sucedidas e realizadas geralmente têm expectativas, #metas, #planos e está tudo bem: ter expectativas é algo bom, #positivo, nos faz crescer, nos estimula a agir para realizar o que está no nosso controle, com #flexibilidade, lidando com as situações e com as pessoas aceitando-as como elas são, e não como gostaríamos que fossem.🌹

E você, o que está alimentando na sua vida: expectativas, desejos ou exigências?

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Branca ícone do YouTube
  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Instagram

Contate-nos

Endereço

Feito com amor 💜 by Keroliem Marcelino

©2019 Universidade da Plenitude

Tel: (62) 9 8142-6809

Email: contato@universidadedaplenitude.com.br

Órion Business & Health Complex

Av. Mutirão com Av. Portugal, Nº 2653 - Sala C2714 - St. Marista, Goiânia - GO, 74.215-240, Brasil