Buscar
  • José Amorim de Oliveira Júnior

Como lidar com Ciúme Patológico?

💞Na dose certa, é normal, natural, apropriado, saudável e até mesmo desejável ter um pouco de ciúmes. A au­sência de ciúme pode ser prejudicial quando @ parceir@ a interpreta como descaso ou falta de interesse. Na dose certa, muitas pessoas gostam de ver algum sinal de que o outro protege e cuida da relação: a intenção positiva do ciúme é expressar AMOR e CONEXÃO.⁣

💔 Um dos efeitos da pandemia é a intensificação do período de convivência entre pessoas: seja familiares, pais-filhos, casais. Isso tem seus benefícios, mas tem gerado conflitos e até mesmo separações nas pessoas que não estavam preparadas para lidar com esse aumento da exposição e da convivência. O que me levou a escrever sobre esse conteúdo foi estar recebendo cada vez mais pessoas em busca de terapia para lidar com esse tema que atrapalha suas vidas: o ciúme patológico.⁣

💞 Na dose certa, é normal, natural, apropriado, saudável e até mesmo desejável ter um pouco de ciúmes. A au­sência de ciúme pode ser prejudicial quando @ parceir@ a interpreta como descaso ou falta de interesse. Na dose certa, muitas pessoas gostam de ver algum sinal de que o outro protege e cuida da relação: a intenção positiva do ciúme é expressar AMOR e CONEXÃO.⁣

💡 O ciúme é um fenômeno multidimensional e surge durante o desenvolvimento de um relacionamento, tendo aspectos cognitivos, emocionais e comportamentais: é um fenômeno emocional complexo no qual o indivíduo sente receio, medo, tristeza ou raiva diante da possibilidade de que a pessoa amada goste mais de outra pessoa, podendo abandoná-lo ou preteri-lo.⁣

💣 Como os outros sentimentos, que são saudáveis até certo nível, o ciúme, se for intenso demais, se torna problemático, revela uma patologia, uma resposta emocional destrutiva e perigosa para o relacionamento e geralmente tem um efeito contrário ao que deseja: em vez de manter a pessoa amada, o ciúme doentio causa a destruição do relacionamento, afasta a pessoa que você mais ama, pois por mais que ela também te ame.⁣

O que provoca o ciúme doentio?

. Déficits na auto-estima e excesso de insegurança: visão distorcida de si mesmo, seja em relação a seu corpo seu físico (a pessoa não se acha bonita o suficiente) ou mesmo a outros aspectos (não se acha inteligente, competente ou bom o suficiente). Geralmente são pessoas que tem pensamentos distorcidos de perfeccionismo, cobranças excessivas e até mesmo inatingíveis, não se achando suficientemente bonita, capaz ou desejável, o que causava insegurança.

. Necessidade excessiva de controlar tudo: necessidade de ter controle sobre tudo para se sentir segura, inclusive controle sobre cada passo da pessoa que ama.

. Experiências traumáticas na infância: quando a pessoa foi abandonada ou não teve um vínculo de apego saudável ela, quando adulta, geralmente tem um medo excessivo de, mais uma vez na vida, passar pela experiência de ser abandonado ou não ser cuidado da forma como gostaria!

. Ansiedade de apego inseguro/ambivalente;

. Dificuldade de lidar com incertezas e frustrações.


Abaixo, veja algumas dicas para lidar com o ciúme patológico:


Dicas para quem está sendo vítima em um relacionamento onde há ciúme patológico:

. A pessoa que está sofrendo pelos ataques de ciúmes d@ parceir@ deve inicialmente conversar e entender o que motiva a atitude d@ parceir@. Se houver algo que perceba que possa mudar para ajudar a tornar o relacionamento seguro e saudável, pode promover as mudanças e ajustes que estão dentro do seu controle SE isso não for trazer prejuízos para si. Isso só deve ser feito quando se está em um relacionamento em que vale a pena investir e que a outra pessoa dá provas de que ama, cuida e você é importante para ele e você sente que o relacionamento te faz crescer;

. Perceba as situações que não cabe a você resolver. Há coisas que dependem exclusivamente del@ e não compensa você mudar a sua forma de ser por imposição del@ se o que causa o ciúme é algo que tem a ver com o outro: el@ precisa se tratar, se resolver;

. Não queira ser terapeuta d@ seu/sua companheir@. Isso não é papel seu, e irá apenas desgastar mais ainda o relacionamento;

. Não se anule, para agradar ao outro, não se afaste de seus familiares ou amigos, não deixe de fazer o que te estrutura, por causa de ciúmes do parceiro. Se fizer isso, descobrirá que a pessoa irá sempre exigir mais e mais e nada que você fizer nunca será o suficiente para el@ se sentir segur@ o suficiente;

. Se perceber que a situação chegou a um ponto insustentável, se permita escolher: termine o relacionamento ou exija que a pessoa procure o auxílio de um psicólogo / terapeuta ou de um psiquiatra, dependendo do grau de transtorno que a pessoa estiver. Se a pessoa não procurar ajuda profissional, muito provavelmente o relacionamento se desgastará tanto que não será sustentável, por mais que o casal tenha amor um pelo outro.


Dicas para quem tem ciúme doentio que prejudica seu relacionamento:

. Se chegou ao ponto de perceber que o ciúme está destruindo seu relacionamento, busque um bom terapeuta para te ajudar a resolver a questão do ciúme que, provavelmente, estará ligado a elementos traumáticos relacionados a baixa-estima, insegurança, crenças de desamor, desvalor ou desamparo. Você terá a oportunidade de lidar com esses elementos do seu passado e se tornará uma pessoa melhor, mais leve, mais saudável;

. O ciúme doentio é um transtorno emocional caracterizado pela hipervigilância e ameaça, em que o indivíduo ciumento interpreta erroneamente as informações neutras como uma ameaça ao relacionamento. Aprenda a parar de fazer leitura mental, de achar que você sabe o que se passa na cabeça d@ parceir@. Desenvolva uma comunicação não-violenta, pacífica, diálogos em que você pode falar abertamente e com respeito e gentileza, sobre tudo: tanto o que traz alegria e sustentação para o relacionamento, quanto o que destrói e afasta um do outro;

. Desenvolva a autoconfiança e segurança. Esse é um passo importante para você aprender a confiar mais n@ seu/sua parceir@. Na maioria das vezes, quando se tem um ciúme patológico, a pessoa alimenta muitas coisas imaginárias, fantasiosas, delirantes, e isso acaba afastando-a da pessoa amada;

. O correto é não lutar CONTRA o sentimento de ciúme: ele é um sentimento natural e saudável, quando sentido no nível adequado. Na terapia você aprenderá a distinguir entre o Ciúme PRODUTIVO (que faz bem ao relacionamento, que significa que você se importa) e o Ciúme Patológico, doentio, IMPRODUTIVO. Orientado por um bom psicoterapeuta você terá a chance de entender as raízes do porque está cultivando o sentimento de ciúme em um nível que está sendo IMPRODUTIVO.

. Geralmente a raiz do problema estará na sua infância, na forma que você foi criado, na sua família de origem, por pais que te ensinaram (pelo simples exemplos que deram) a demonstrar seu amor por meio da agressividade ou possessão ou, simplesmente, por não saber lidar com as frustrações da vida. Talvez perceba que você não se sentiu amado ou cuidado da forma como gostaria e teme que seu/sua parceir@ te abandone também e você acabou aprendendo a usar o ciúme como uma forma de prevenir que isso aconteça. PORÉM, o principal resultado do ciúme patológico é exatamente causar um efeito contrário: ele destrói relacionamentos e afastar a pessoa que você mais ama.

. O mundo não gira à sua volta: nem tudo o que @ parceir@ sente ou pensa tem a ver com você! Deixe de personalizar tudo. A pessoa que você ama tem vida própria, tem família, profissão, emprego, estudos, a vida dela não gira em torno de você! Amor e cuidados em excesso faz tanto mal quanto a falta de amor: sufoca, agride e faz murchar qualquer relacionamento!

. Não queira mudar o outro a ponto del@ perder a identidade: muitas vezes você escolheu @ parceiro tão diferente de você justamente porque se encantou com o jeito del@: ou por ser expansivo, comunicativo e intenso (enquanto você é mais introvertido), ou por ser focado e concentrado (enquanto você se considera disperso). Não queira que o outro seja uma cópia sua. Isso tornaria o relacionamento desinteressante! Vocês tem muito a aprender um com o outro.

. Você NÃO tem necessidade de CONTROLAR tudo! Esse é um dos traços do ciúme patológico. Ao aprender a habilidade de abrir mão do controle você terá uma vida mais saudável e se libertará da ansiedade, estresse e da sobrecarga emocional que tem sentido;

. Aprenda a lidar com a insegurança, sem que isso te cause tanta ansiedade. Vivemos em um mundo incerto, de transformações constantes. A necessidade de ter certeza de tudo é tão prejudicial quanto a necessidade de ter controle sobre tudo e é uma das causadoras de muitos transtornos mentais, ansiedade, problemas obsessivos e ciúmes.

. Pare de se COMPARAR com os outros: geralmente isso leva a insegurança, baixa-estima e sentimento de inferioridade: “el@ é mais bem-sucedid@ que eu”, “el@ conseguiu fazer aquela viagem, e eu não”; “el@ é mais bonit@”. Cada pessoa tem seu caminho, seu ritmo. Você não é melhor nem pior do que ninguém. Concentre-se nas suas qualidades, virtudes e forças e use-as para identificar os pontos em que tem que melhorar e siga em frente, sem se comparar com as demais pessoas.


Transtornos mentais relacionados ao Ciúme

Na psicopatologia o ciúme doentio não é tipificado como um transtorno independente. Ele é geralmente apresentado como um sintoma presente em alguns transtornos, como os listados abaixo:


a) Transtorno de Personalidade Borderline (ou transtorno de personalidade Limítrofe)

Pessoas com esse transtorno se veem como vulneráveis, impotentes e inaceitáveis; enxergam os outros como perigosos ou malvados; acreditam que podem ser abandonados ou agredidos e se colocam em estado de vigilância para evitar ser maltratado. Desenvolvem a crença de que não podem confiar nas outras pessoas, senão serão maltratadas, consideradas como insignificantes e acabarão abandonadas. São pessoas que geralmente alimentam sentimentos de tristeza, raiva e são emocionalmente desreguladas. Têm ideação paranóide relacionada ao estresse ou graves sintomas dissociativos e geralmente agem fazendo esforços frenéticos no sentido de evitar um abandono real ou imaginário, geralmente manipulam, seduzem e correm graves riscos de cometer atos suicidas ou de automutilação.


b) Transtorno da Personalidade Paranóide

Pessoas com esse transtorno geralmente alimentam suspeita, sem fundamento suficiente, de estar sendo explorado, maltratado ou enganado por terceiros; tem suspeitas recorrentes, sem justificativa, quanto à fidelidade do cônjuge ou parceiro sexual. Indivíduos com esse transtorno podem reunir “evidências” triviais e circunstanciais que apoiem suas crenças de ciúme. Desejam manter controle total das relações íntimas para evitar serem traídos e podem constantemente questionar e desafiar o paradeiro, as ações, as intenções e a fidelidade do cônjuge ou parceiro.


c) Transtorno da Personalidade Esquizotípica (subtipo ciumento)

Transtorno que se aplica quando o tema central do delírio do indivíduo é o de que o cônjuge ou parceiro é infiel. No tipo ciumento, o tema central do delírio é ter um parceiro infiel. Essa crença é injustificada e está baseada em inferências incorretas apoiadas por pequenas “evidências” (p. ex., roupas desalinhadas). A pessoa com o delírio costuma confrontar o cônjuge ou o parceiro e tenta intervir na infidelidade imaginada e pode incorrer em problemas com a lei por usar de violência.


d) Transtorno obsessivo-compulsivo com especificasdor relacionado a “Ciúme obsessivo”

Esse transtorno é caracterizado quando o parceiro alimenta preocupações sobre a infidelidade do parceiro, a ponto de levar a comportamentos ou atos mentais repetitivos em resposta às preocupações com a infidelidade, causando sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo, visto que pensamentos de ciúme podem ser vivenciados de forma irracional, excessiva ou intrusiva, podendo a levar a comportamentos compulsivos como os de verificação.


e) Transtorno por uso de substâncias (drogas lícitas ou ilícitas)

Em algumas situações o ciúme doentio está ligado a quadros nos quais a pessoa faz uso de drogas lícitas (como bebidas alcoólicas) ou ilícitas (maconha, cocaína, etc.) e nessas situações o usuário pode ter episódios psicóticos, delírios e alterações comportamentais ou psicológicas clinicamente significativas e problemáticas, como agressividade, irritabilidade. A capacidade de avaliação do indivíduo sob efeito de drogas fica comprometida, o que pode levar a episódios de ciúme patológico.

Você já vivenciou um relacionamento que foi destruído pelo ciúme doentio? Quem foi você na história: a vítima ou a pessoa que não soube dosar e acabou exagerando na dose de ciúme?🌹


✍️Se você gostou desse conteúdo, compartilhe com quem você acredita que pode se beneficiar com a leitura.

9 visualizações0 comentário